Sinônimo de EMPODERAMENTO

“Quando comecei minha carreira na empresa, sempre pensava no próximo passo. Como assistente, dei meu melhor pensando em virar coordenadora. Como coordenadora, batalhei para ser supervisora. E assim foi! Mas nunca a presidência passou pela minha cabeça”

Foi com um jeitinho de “melhores amigas” que eu e Nadir Moreno conversarmos sobre a primeira visita dela a Ribeirão Preto, onde faria, de forma leve, descontraída e muito informativa, uma palestra no lançamento do LIDE Mulher da cidade.

Presidente da UPS Brasil e do LIDE Mulher São Paulo, a advogada é natural de Umuarama (PR), conhecida também como a “Capital da Amizade” – aliás, acho que essa essência de camaradagem seguiu incorporada em Nadir, que possui uma forma única de deixar seus convidados à vontade para tirarem dúvidas sobre os dias agitados e grandes responsabilidades de uma empresária tão bem-sucedida. E foi exatamente isso que fiz, aproveitando cada segundo de nossa conversa!

Com um faturamento de U$61 bilhões e mais de 19 milhões de entregas diariamente no mundo, a UPS, líder global em Supply Chain Solutions, logística e transporte, conta com projetos que fazem a diferença dentro e fora da empresa, como o WLD (Women’s Leadership Development Program), que tem como maiores objetivos fornecer oportunidades de networking entre mulheres e homens da instituição, desenvolver habilidades de liderança e interagir com profissionais de organizações femininas.

No Brasil, a UPS começou a atuar em 1989 e, hoje, sob o comando de Nadir, possui 3 mil colaboradores e atende os principais aeroportos e portos do país. Curiosos para saber como nossa entrevistada, puro sinônimo de empoderamento, chegou lá?

Por Joana Mortari | Fotos Rafael Cautella

ZUMM SELECT: VOCÊ ASSUMIU A POSIÇÃO DE LEVANTADORA EM ALGUNS TIMES DE VÔLEI E, DESDE MUITO NOVA, O ESPORTE FEZ PARTE DA SUA VIDA. QUAIS FORAM OS ENSINAMENTOS QUE TROUXE PARA OS DIAS DE HOJE, NOS ÂMBITOS PESSOAL E PROFISSIONAL?

Nadir Moreno: Com toda a certeza, o trabalho em equipe e a disciplina. Sei que no vôlei e na equipe de trabalho, cada jogador e profissional tem sua responsabilidade, porém, a junção de todas as funções é que vai gerar o sucesso como um todo. Ter foco naquilo que almeja é muito importante também! Ainda usando o vôlei como exemplo, se você não estiver desempenhando o seu melhor, prejudicará o restante do time e no trabalho é a mesma coisa! A determinação é crucial! Quando você quer vender, tenha certeza absoluta que 50% do seu objetivo já está ganho.

Z. S.: NO MERCADO DE TRABALHO TAMBÉM COMEÇOU CEDO, COM APENAS 14 ANOS. O QUE A INSTIGOU A BUSCAR ESSA EXPERIÊNCIA EM UMA ÉPOCA NA QUAL AS MULHERES NÃO TINHAM TANTO TAL INICIATIVA?

N. M.: Cresci em uma família simples e sou a quinta filha de oito irmãos. A mais velha trabalhava fora e a caçula era muito pequena. Por ser a filha do meio, minha mãe contava muito comigo para ajudar nas tarefas de casa. Mas, imagine: éramos 10 pessoas, contando com os meus pais, o que rendia uma louça com mais de 100 peças para lavar… a cada refeição! (risos) E eu não queria aquilo para mim! Odiava lavar a louça e fazer os serviços de casa.

Z. S.: ENTÃO TRABALHAR FOI UMA FORMA DE FUGIR DESSA REALIDADE E GANHAR SUA INDEPENDÊNCIA?

N. M.: Sem sombra de dúvidas! Um dia, levei meus amigos para comemorar nossa formatura de oitava série em um restaurante vegetariano e, quando o gerente do local viu que consegui levar toda aquela turma para um local que, na época, não era tão conhecido, ele fez o convite para que trabalhasse como recepcionista. Aceitei na hora! O trabalho já dignifica naturalmente e, quando você sente o sabor da liberdade, quando vem a bonificação pelo seu esforço, nos sentimos ainda mais motivados.

“Quando comecei minha carreira na empresa, sempre pensava no próximo passo. Como assistente, dei meu melhor pensando em virar coordenadora. Como coordenadora, batalhei para ser supervisora. E assim foi! Mas nunca a presidência passou pela minha cabeça”

Z. S.: VOCÊ SE FORMOU EM LETRAS E LÍNGUAS… EM QUAL MOMENTO A UPS ENTROU NA SUA VIDA?

N. M.: Já havia passado por alguns outros trabalhos como recepcionista, auxiliar de departamento financeiro, assessoria comercial… mas procurava por uma carreira mais sólida. Me formei em Línguas e Letras (hebraico e português) devido à religião que minha família seguia na época, a qual não permitia que estudássemos às sextas e aos sábados. Então, só aí, já diminuía a quantidade de cursos que conseguia fazer. Encontrei esse em uma faculdade judia, que também seguia esses preceitos. A UPS entrou na minha vida aos 21 anos. Uma amiga me falou sobre a oportunidade e mandei meu currículo. Assim que entrei, conversei com o presidente na época e ele me disse que eu precisava cursar direito. Ele era um advogado renomado, premiado, e sempre levantava a bandeira de ‘quem não faz direito, não faz nada!’ (risos). E, assim, lá fui eu cursar direito.

Tomie Sakamoto, empresária e presidente do LIDE Mulher Ribeirão Preto

Fábio Fernandes, presidente do LIDE Ribeirão Preto, e sua esposa, Caroline Fernandes

Z. S.: A UPS É HOJE A PROTAGONISTA DE TODA A SUA TRAJETÓRIA. VOCÊ IMAGINAVA QUE, UM DIA, CHEGARIA À PRESIDÊNCIA?

N. M.: De forma alguma! Quando comecei minha carreira na empresa, sempre pensava no próximo passo. Como assistente, dei meu melhor pensando em virar coordenadora. Como coordenadora, batalhei para ser supervisora. E assim foi! Mas nunca a presidência passou pela minha cabeça. Aliás, esse ‘um passo de cada vez’, na minha opinião, foi o segredo para eu chegar aonde cheguei, indo aos poucos, valorizando cada passagem em cada departamento.

Z. S.: SEI QUE É CLICHÊ, MAS ESSE SERIA, ENTÃO, O SEU SEGREDO DE SUCESSO?

N. M.: Tenho uma premissa de que o segredo do sucesso é sempre mostrar o resultado do que você faz, o que é extremamente objetivo e numérico. Não adianta dizer ‘eu fiz bem e bonito’, se for de forma disfarçada! Os resultados falam por si só! E tem que ser consistente. Afinal, se você faz algo muito bem e, de repente, estoura, e depois cai, também não funciona. Você precisa criar uma história, um legado.

Z. S.: COMO PROCURA RECICLAR SEUS CONHECIMENTOS PROFISSIONAIS E COM QUAL FREQUÊNCIA? AFINAL, SUA AGENDA POSSUI HORÁRIOS JUSTOS…

N. M.: Como a UPS trabalha com um portfólio muito grande de negócios, nós precisamos de meios de informações filtradas para saber de tudo um pouco do que acontece no mundo. O departamento de marketing, todos os dias, por meio da relações públicas da empresa, traz um relatório diário das indústrias concorrentes. Recebemos também um relatório global do que está acontecendo em todas as UPSs. Isso fora os cursos online que a empresa oferece de liderança, reciclagem de segurança, gerenciamento, gestão… é uma multinacional que disponibiliza todas as ferramentas e os recursos para que depois possa cobrar e usufruir do seu melhor!

Z. S.: COMO CONHECEU O LIDE MULHER E COMO CHEGOU ATÉ À PRESIDÊNCIA?

N. M.: O LIDE Mulher foi uma continuidade dos valores que a própria UPS tem. Nós temos um programa interno criado em 2006, o WLD (Women’s Leadership Development Program), que engaja, empodera e fortalece a autoestima da mulher dentro de um
ambiente muito masculino que é o de logística. Esse programa foi desenvolvido para entender o porquê as mulheres saiam mais do seu emprego que os homens. As pesquisas revelaram que isso acontecia, pois buscavam qualidade entre a vida pessoal e a profissional, equilibrando as tarefas da mulher parte da família e da mulher executiva. Somos multitarefas! Doze anos depois do surgimento do WLD, de 28% de turnover dentro da UPS, baixamos para 8%, com mais de três mil eventos para poder gerar esse tipo de ambiente para essas mulheres.

Z. S.: EXATAMENTE A MESMA PREMISSA DO LIDE MULHER NO SEGMENTO EMPRESARIAL…

N. M.: Isso! Nós temos uma bandeira de empoderar, fortalecer e gerar a oportunidade das mulheres se conhecerem, estudarem experiências e sentirem que realmente é possível criar um bom networking e bons negócios.

“Tenho uma premissa de que o segredo do sucesso é sempre mostrar o resultado do que você faz, o que é extremamente objetivo e numérico. Não adianta dizer 'eu fiz bem e bonito', se for de forma disfarçada! Os resultados falam por si só!”

Z. S.: VOCÊ TEM UM JEITO LEVE DE LEVAR INÚMEROS TIPOS DE ASSUNTOS, SEJAM ELES EMPRESARIAIS OU PARTICULARES. QUAIS SÃO AS QUALIDADES QUE POSSUI COMO CHEFE E QUE ACREDITA QUE OUTROS GESTORES TAMBÉM DEVERIAM TER PARA AGREGAR ÀS EQUIPES?

N. M.: Gosto muito do meu estilo de gestão de pessoas. Nós somos prestadores de serviços e o ativo fixo principal são as pessoas! Como vim do jurídico e do recursos humanos dentro da UPS, trouxe essa habilidade que é necessária de como lidar com diferentes personalidades e culturas, e capitalizar o melhor delas. Tenho certeza absoluta que esse é um ponto que gosto muito. Outro fator é que sou muito positiva, o que pode contagiar a minha equipe.

Leave a Reply

Your email address will not be published.