GÊNIO ALÉM DA COMUNICAÇÃO

Por Mariana Campos | Fotos  Roberto Nemanis/Divulgação

De camelô à bilionário, ele se tornou umas das personalidades mais importantes da história do país, carimbando seu sorriso inconfundível nos domingos da TV brasileira. Por trás do jeito brincalhão que o tornou tão popular, Silvio Santos soube, como ninguém mais, explorar seu talento empreendedor ao criar um império empresarial que ultrapassa os estúdios do SBT − Sistema Brasileiro de Televisão

Em meio a livros, biografias não autorizadas e até um filme com data de estreia marcada para dezembro desse ano, contar a história do menino comunicativo de origem humilde que se tornou uma das maiores personalidades do país é sempre desafiador e, ao mesmo tempo, inspirador − mesmo que seja a partir do depoimento de terceiros, já que, como acontece há muitos anos, ele próprio não dá entrevistas, consequência, de acordo com sua assessoria, do conselho de uma cigana americana.
Com uma habilidade inata para os negócios, ele fundou diversas empresas até chegar a um conglomerado bilionário, o GSS (Grupo Silvio Santos), que envolve operações em diversos segmentos, como televisão, varejo, hotelaria e capitalização.

Um pouco dessa trajetória

Filho de judeus nascidos no antigo Império Otomano, Silvio começou a trabalhar com apenas 14 anos como vendedor ambulante, ao lado de Léo, um de seus cinco irmãos. Eles vendiam seus produtos na rua, durante um curto período de 45 minutos, já que esse era o tempo de almoço dos guardas que fiscalizavam a área. Paralelamente ao trabalho, ele completou seus estudos e se formou em Contabilidade.
Aos 18 anos, precisou dar uma pausa na vida de camelô para servir ao exército e, quando tinha folga, aos domingos, trabalhava de graça em uma rádio da cidade. Assim como nas ruas cariocas, sua forte voz causou impacto e não demorou muito para chamar atenção.
Algum tempo depois, conquistou um emprego como locutor em uma rádio de Niterói, para onde pegava uma barca que cruzava a Baía de Guanabara. Nesse trajeto diário, a mente inovadora do jovem entrou em ação novamente e Silvio decidiu montar um serviço de alto-falantes no transporte, pedindo demissão da rádio para tal. Ele, então, passou a ser corretor de anúncios para esse alto-falantes, além de criar um bar e um bingo dentro da barca.
Em 1954, já em São Paulo, conseguiu uma vaga na Rádio Nacional, na mesma época em que já apresentava espetáculos e sorteios em caravanas de artistas. Fazia também suas primeiras apresentações em público no circo e criou uma revista chamada “Brincadeiras para Você”, que trazia palavras cruzadas, passatempos e charadas, vendida por ele nos comércios da cidade.
Quatro anos depois, o animador provou mais uma vez o potencial de seu talento para os negócios! Nesse ano, seu amigo e também radialista Manoel da Nóbrega estava com dificuldades para administrar uma empresa de venda de brinquedos a prazo − o Baú da Felicidade, que era um sistema de carnês em que o cliente pagava as prestações de uma caixa de brinquedos ao longo do ano e recebia os produtos no Natal. Nóbrega havia vendido muitos carnês, mas enfrentava problemas para entregar as mercadorias, recorrendo a Silvio para tentar encontrar uma solução. Não só ele ajudou o amigo, como assumiu a empresa, expandiu o negócio e, em 1962, o transformou no Grupo Silvio Santos.

Em meados da década de 1970, o já empresário de sucesso vinha pensando em ter seu próprio canal de televisão. Foi quando, em 1975, Silvio venceu a concorrência para o Canal 11 do Rio de Janeiro, com a tão esperada solenidade de assinatura do contrato acontecendo em 22 de dezembro, data oficial do nascimento do SBT – Sistema Brasileiro de Televisão, que, em apenas seis anos, ganhou a concessão de mais quatro canais. Atualmente, localizada em Osasco (SP), é o 3º maior complexo televisivo em tamanho instalado na América Latina, com 290.000m².

Já o fim dos saudosos anos 1990 foi marcado por duas importantes atrações: a abertura das portas da casa para o Teleton, uma maratona televisiva em prol da AACD − Associação de Assistência à Criança Deficiente, que segue até hoje, e pelo game “O Show do Milhão”, uma das atrações de maior sucesso na história da TV brasileira.

Toda sua popularidade à frente das câmeras rendeu, inclusive, convites para que ele entrasse no mundo da política, o que quase aconteceu nas eleições presidenciais de 1989, quando chegou a lançar campanha na televisão. Contudo, sua candidatura acabou barrada na Justiça sob o fato de ele ser dono de uma concessionária de TV. Além do SBT, o GSS é formado pela SBT Filmes (empresa cinematográfica), SBT Music (gravadora musical), SBT Vídeos (vídeos na internet), SBT Licensing (licenciadora de marcas), Liderança Capitalização (responsável pela emissão do título de capitalização conhecido como Tele Sena), Jequiti Cosméticos e Hotel Jequitimar.

Emissora da família

Ídolo nacional, lenda da televisão.... Seja como for, o fato é que, ultrapassando gerações, nesses mais de 70 anos de carreira, Silvio fez e faz parte da vida das famílias brasileiras, levando entretenimento, informação e, claro, oferecendo alegria para o público que o segue.
Em 2018, o SBT foi a segunda rede de televisão mais vista no Brasil, com um total de 114 emissoras e afiliadas − sendo uma delas em Ribeirão Preto, dirigida por um de seus sobrinhos, Maurício Abravanel. O publicitário conta que, desde pequeno, sonhava em trabalhar no Grupo Silvio Santos e que, ao se especializar em Gestão de Comunicação, conseguiu que seus tios (tanto Silvio, quanto seu irmão Henrique) lhe dessem a oportunidade de ingressar na empresa.
Maurício lembra que trabalhou em várias empresas do GSS, começando no Baú da Felicidade, passando pela TeleSena e chegando ao próprio SBT, em São Paulo. Em determinado momento, quando ainda atuava como gerente de área, ouviu, durante uma reunião de diretoria, o plano de alterações na gestão das Emissoras Regionais. Foi quando, então, surgiu a chance para assumir a direção da emissora de Ribeirão Preto. Como diretor superintendente, ele comanda o SBT local e a afiliada de Jaú, no total de uma área de cobertura com quase 200 municípios. “Quem convive ou trabalha com Silvio Santos aprende a colocar em prática um princípio essencial: honestidade. Seja na vida pessoal ou na vida profissional, aprendemos que agir com honestidade, independentemente de as consequências serem as que esperamos ou não, é sempre o caminho para a felicidade! Meu tio é sempre honesto com seus fãs, com seus funcionários e com ele mesmo. Por isso, é tão feliz e consegue transmitir essa sensação para todos que o conhecem”.

Silvio com a esposa Íris e suas seis filhas: Cíntia, Sílvia, Daniela, Patrícia, Rebeca e Renata - todas envolvidas em algum setor do Grupo Silvio Santos.

“É uma honra trabalhar no SBT e também uma felicidade tremenda saber que meu tio Silvio, minha tia Íris e todas as minhas primas, filhas dos Silvio, confiam em mim, no meu trabalho e na gestão que faço desse patrimônio que é deles!”, Maurício Abravanel.

Leave a Reply

Your email address will not be published.