A menina dos olhos

Com um nome que sintetiza a cultura e as belezas brasileiras, a Pousada Maria Bonita, em Fernando de Noronha (PE), encanta os convidados ao oferecer um refúgio de requinte e naturalidade

Por Amanda Pioli | Fotos Divulgação

A fama de Fernando de Noronha (PE) já ultrapassou (e muito!) os limites de suas águas e, atualmente, o arquipélago é reconhecido mundialmente como um dos lugares mais bonitos do globo. Com uma rigorosa fiscalização e controle, inclusive de acesso, a fim de garantir a preservação da fauna e da flora local, é um paraíso exclusivo que encanta os olhos e conquista os corações nos pequenos detalhes.
Essa aura foi a base para a criação da Pousada Maria Bonita, um espaço único que celebra o Brasil por meio de um design elegante e sereno, imaginado e projetado pela arquiteta Angela Chinasso, que conseguiu unir o rústico e o contemporâneo no que há de mais simples.
A decoração tem um approach natural com artefatos inspirados em raízes, tramas e texturas que evocam a natureza e proporcionam um espaço para relaxamento. E se o meio ambiente em sua forma mais bela aparece tanto dentro quanto fora da pousada, o mesmo acontece com a brasilidade e a cultura do Nordeste, sentidas em todos os seus cantos.

PRAZER, MARIA

Os hóspedes são recebidos na Pousada com um poético cartão de visitas: o hall, que dá as boas-vindas apresentando uma curadoria de arte popular e design nacional com obras de artesanato do Norte e Nordeste brasileiro. Os materiais utilizados nos revestimentos oferecem um pouco da atmosfera urbana e contemporânea do concreto, criando um contraponto ao rústico do decor.
O espaço de recepção é realmente um portal para o conjunto de ambientes nos quais nenhum detalhe foi esquecido ou está ali por acaso. Permitindo o convívio entre os convidados, a cozinha gourmet mescla casualidade e funcionalidade. No pergolado de eucalipto, onde é servido o café da manhã, as pinhas de terracota do Mestre Zezinho de Tracunhaém (PE) contrastam com a paleta de tons acinzentados da pousada.

As diferentes representações do país verde e amarelo são incorporadas ao local por meio das obras dos mais diversos artistas, como na peça da artista plástica mineira Yana Coelho, que decora a cabeceira da cama de dossel em um dos 11 quartos – segmentados em três tipos de suítes; no painel de fibra de coco, sustentável e com a cara do Brasil, da designer Monica Carvalho; ou ainda nos cestos Oli feitos com estrutura trançada em piaçava com design assinado por Sérgio J. Matos e manufaturada por comunidades indígenas da Amazônia.
O conforto dos quartos, por sua vez, é conquistado pela presença de um mobiliário essencial, de desenho apurado, contemporâneo e de cores neutras, porém artesanal, feito à mão e exclusivo – garantindo que a Maria Bonita seja um lugar despretensioso, mas elegante.

O ENCANTO CONTINUA LÁ FORA

Por mais que o projeto tenha sido pensado para envolver os hóspedes, os criadores da Maria Bonita sabem que a experiência proporcionada por Fernando de Noronha só faz sentido do lado de fora, na natureza, sem os limites impostos pelo homem. Por isso mesmo, são oferecidas várias possibilidades de passeio que aproximam o visitante da alma desse paraíso terrestre.
Entre excursões de barcos, esportes e trilhas, o Ilha Tour, em destaque, promove uma visita por terra pelos melhores points, o que o torna ideal para ser o primeiro passeio. Com parada para mergulho de apneia – aquele com máscara e snorkel – em algumas praias, o tour começa bem cedo e termina no fim da tarde, com um maravilhoso pôr-do-sol, normalmente apreciado no Fortinho do Boldró.
Para os mais aventureiros, uma ótima ideia é o Plana-sub, conhecido também como vôo submarino. Utilizando equipamento de mergulho, a pessoa segura uma mini prancha puxada por um barco, prende o fôlego e viaja pelo fundo do mar. Uma experiência inesquecível pelo universo marinho.

Leave a Reply

Your email address will not be published.